Como gerar um projeto modelo (Template) para o Visual Studio

Após descobrir como criar um Windows Service que pode ser executado como Console Application e debugado, veio a próxima necessidade: criar um Template para não necessitar realizar a mesma modificação em todo novo projeto de um serviço. Então aqui segue um passo a passo de como criá-lo:

Continue lendo “Como gerar um projeto modelo (Template) para o Visual Studio”

Criar um Windows Service em .NET que possa ser executado como Console

Esta tem sido uma semana forte com os desenvolvimentos em .NET, principalmente utilizando Windows Services. Seu uso é muito útil quanto ao auto-gerenciamento proporcionado pelo sistema operacional windows, além da gestão de eventos. Só tem um ponto que me incomoda no desenvolvimento de Serviços: DEBUG! A forma indicada pela própria Microsoft para isso é utilizar a função de Attach, porém isso requer que o serviço seja instalado e esteja em execução na máquina. Venhamos e convenhamos, imagina fazer isso a cada linha de código que você altere e queira ver o resultado.

Outra solução seria fazer comentar na classe Program a o processo de execução do de Service, criar uma instancia da classe Service e chamar o seu método principal, que inicie seu processo. Mas também não é muito prático, pois no momento de distribuir e instalar seu serviço, é preciso “lembrar” de descomentar seu código.

Continue lendo “Criar um Windows Service em .NET que possa ser executado como Console”

Como conectar com uma base de dados Oracle sem instalar um Client Oracle

Normalmente trabalho com bancos de dados SQL Server, porém muitas vezes em nossos projetos necessitamos conectar à bancos de dados Oracle para acessar algumas informações. Para quem já teve essa experiência, sabe que instalar um Client Oracle não é lá uma das atividades das mais fáceis, sem falar que dependendo do Cliente pode consumir alguns GB do seu disco.

Buscando um pouco na net encontrei este interessante post que me ajudou muito, portanto decidi compartilhar, e traduzir!

Segue abaixo os passos para instalação e configuração, lembrando que no meu caso estou realizando sobre um ambiente windows.

1. Baixar da página da Oracle o pacote “instant client package”.
Link para download: http://www.oracle.com/technetwork/topics/winsoft-085727.html
Caso o link esteja desatualizado, pasta realizar a seguinte busca na página da Oracle: “instant client downloads for windows”.
É sempre interessante trabalhar na versão mais recente, no caso estou trabalhando com a versão 11.2.0.3.0. O pacote possui aproximadamente 50Mb.

2. Baixar da página da Oracle o pacote “instant client package – SQL*Plus”.
O pacote se encontra na mesma página indicada acima e é listado na mesma página do instant client package. O pacote possui aproximadamente 740Kb.

3 . Criar uma nova pasta na sua máquina. Ex: “C:\oracle”.

4. Extrair o conteúdo de ambos pacotes para a pasta criada.
Optei por extrair toda a pasta do arquivo rar para dentro da pasta Oracle, mantendo assim a estrutura interna do arquivo. Ambos pacotes possuem a mesma pasta. Caso apareça a mensagem de que já existe uma pasta com o mesmo nome, podem clicar em substituir, porque na verdade não haverá substituição de arquivos. Os arquivos de um pacote serão adicionados aos arquivos do outro pacote.

5. Entraremos agora na parte de configuração. Clique com o botão direito do mouse sobre o ícone do Meu Computador e depois em Propriedades.

6. Na aba Avançado, clique em Variáveis de ambiente.

7. Em Variáveis de usuário, adicione a variável TNS_ADMIN com o endereço da pasta criada no campo Valor, conforme exemplo abaixo.

8. Em Variáveis do sistema, edite a variável Path, acrescentando ao final do seu valor o mesmo endereço inserido no passo anterior. Lembrando que os valores desta variável devem estar separados pelo caracter “;”.

9. Ainda em Variáveis do sistema, criar a variável NLS_LANG com o seguinte valor: AMERICAN_AMERICA.WE8MSWIN1252. Esta variável trata das configurações regionais da conexão. Você pode tirar maiores dúvidas sobre estas configurações na página da Oracle.

10. Reinicie seu computador.

11. Instale sua ferramenta de desenvolvimento. No meu caso estou utilizando uma versão Trial do TOAD (a ferramenta de desenvolvimento Oracle mais utilizada no mundo). Apesar de algumas limitações, atendeu todas minhas necessidades.

12. Crie ou copie seu arquivo tnsnames.ora dentro da pasta de instalação do nosso cliente.

13. Finalmente ao executar o TOAD verá que na página de login, na área de “Installed Clients” já estará disponível nossa versão do “Instant Client”, e na caixa de TNS Database estarão listadas todas suas conexões configuradas no arquivo tnsnames.ora.

14. Entre com seu usuário e senha, e corra pro abraço!

Espero que este post seja útil! Um grande abraço!