Telenor se une a Telefonica em BlueVia e aos pagamentos integrados

Traduzido de ALT1040.

Texto de Carlos Rebato

BlueVia é uma das iniciativas mais interessantes que Telefonica tem apresentado no campo das aplicações móveis. Isto, unido ao seu sistema de pagamento integrado perante o qual o usuário pode pagar as aplicações de maneira transparente com sua fatura, são duas vias para facilitar aos desenvolvedores gerar entradas mediante o uso de APIs. Agora, a companhia acaba de anunciar que Telenor, o gigante das telecomunicações norueguês, acaba de se somar ao projeto.

 

O acordo aumenta exponencialmente as possibilidades de BlueVia e faz que esteja disponível para um número muito maior de usuários. BlueVia apresenta várias APIs, entre as principais se destacam: Payment API, que permite como mencionávamos carregar qualquer tipo de custo na fatura (com a consequente despreocupação por parte do cliente de ter que proporcionar dados extras); SMS API, que permite enviar mensagens aos usuários ou recebê-las por parte dos mesmos; MMS, similar mas com este protocolo, e User Context (Customer Info API), que permite conhecer dados do usuário como conexão e tipo de dispositivo que está usando.

Inicialmente a união de Telenor a BlueVia se concentrará na Paymente API, permitindo a desenvolvedores que suas aplicações e serviços funcionem sobre a infraestrutura de BlueVia enquanto compartem as entradas geradas. Ainda que esta seja a intenção principal no momento, ambas companhias não descartam que no futuro sejam lançadas novas APIs dirigidas a outras áreas de mercado.

Enquanto se desenvolvem outras iniciativas como Firefox OS, que apontam a mercados emergentes com pouca penetração no mercado de aplicações e onde o feito de ter uma base de dados com cartão de crédito é fundamental. Assim, perante a união entre Movistar e BlueVia se resolva este problema, apresente também em uma escala maior como em Google Play, onde a porcentagem de entradas em aplicações de pagamento é muito baixa.

As intenções de Telefonica com BlueVia fica claro então que vão muito mais além do mercado internacional da companhia, senão que converge dentro de uma visão muito mais global. Que Telenor suba ao carro é sem dúvida um grande passo, veremos se dará seus frutos.

Quarta agitada na Campus 2012

A semana já vai chegando em sua metade, mas parece que a energia da galera está longe de acabar. O dia mal começava e todos já estavam a mil, como se estivesse esvaziado as máquinas de energético da arena.

No começo da manhã decidi acompanhar a apresentação da microsoft do seu sistema Azure, projeto que consiste em um sistema operacional para gerenciar a nuvem, tecnologia que está na crista da onda. É definitivamente um produto extremamente importante, ainda mais se utilizado sob o uso da plataforma de desenvolvimento da microsoft. Porém um ponto que me chamou muito a atenção nesta apresentação foi quando mostraram a estrutura de datacenters da microsoft, que possui 3 grandes núcleos: América do Norte, Europa e Ásia. Apresentaram a estrutura utilizada pela empresa e mostraram fotos do que é chamado hoje de Computação por Container. Caso necessitem ampliar a capacidade dos seus datacenters, nada mais de ficar instalando fileiras e fileiras de servidores. Eles compram logo um container completo. Dentro destes containers estão todos os novos servidores e só precisam conectar 3 ítens ao container: energia, rede e água para resfriamento. Fantástico!

Em seguida foi a vez do painel sobre aplicativos para dispositivos móveis voltados aos cidadãos. Entre eles foi mostrado o Tarifa de Taxi para cálculo da tarifa em diversas cidades brasileiras, o app Paprika para realidade aumentada, My Fun City para engajamento social e por fim Rio App para promover a criação de aplicativos para ajudar as pessoas do Rio de janeiro utilizando bases de dados disponibilizados pelos orgãos públicos.

A palestra principal da tarde contou com a participação do vice presidente de negócios do SoundCloud, plataforma de rede social que permite o compartilhamento de áudio. Mostrou como o ser humano se relaciona com os diversos sons e como a combinação dos mesmos pode produzir diversos sentimentos que apenas imagens ou textos isolados não alcançariam.

Após a pausa para carregar as baterias acompanhei a palestra sobre metodologias de desenvolvimento ágil com foco no Team Foundation da microsoft. Foi conduzida por dois representantes da 2PC Brasil e mostrou uma incrível sincronia entre eles, apresentando os produtos, animando a platéias e demonstrando em tempo real. Ficou muito claro o poder de desenvolvimento quanto a produtividade dos pacotes da gigante dos sistemas operacionais.

Mais a tarde rolou uma palestra um pouco mais técnica, sobre a estrutura dos bancos de dados com foco no MySQL e como bancos relacionais e não relacionais armazenem e recuperam seus dados e como o programador deve olhar para isso no momento de desenvolver seus produtos.

 

Outra vez no palco agora com uma participação mais do que especial. Neil Harbisson foi considerado legalmente o primeiro Cyborg da humanidade, sendo considerada sua câmera para ver as cores como um membro do seu corpo. Neil nasceu com uma doença que o impede de ver as cores. Após muito desenvolvimento criaram um camera que converte as cores em freqüências audíveis que são transmitidas para seus ouvidos através dos ossos do seu crânio. Sua nomeação de cyborg lhe foi concedida quando concluíram que não se tratava apenas de um dispositivo mas sim uma extensão de seus membros uma vez que seu cérebro já interpretava as informações de som como parte de seus sentidos. Hoje ele coordena uma fundação que auxilia outras pessoas com necessidades semelhantes a melhorarem suas vidas.

A noite foi dedicada à criança do futuro: HTML5. Primeiramente um painel com os principais nomes no tema para um bate papo sobre o futuro da tecnologia web. A conversa entre outras pessoas contou com a participação de Chris Hofmann, um dos grandes colaboradores do já falecido Netscape e hoje do Mozilla Firefox. Na seqüência o mesmo realizou uma apresentação do HTML5 na prática, mostrando as principais funcionalidades desse que está se tornando um novo padrão para desenvolvimento. entre muitas perguntas que foram feitas se falou em num futuro não tão distante, o browser substituir o sistema operacional, principalmente nos dispositivos móveis. Entretanto para alcançar este nível ainda falta um longo caminho, que deve passar primeiramente na padronização das propriedades e comandos de todos os dispositivos existentes.

O que para uns parecia o final do dia, para outros significava apenas o começo da noite. Passava da meia noite e a agitação ainda era grande da arena. Dezenas de campuseiros vestidos de pijama faziam a festa. Criavam passeatas, carregavam cadeiras, tocavam cornetas. A festa era enorme. Jogos de tabuleiros davam lugar aos computadores e num dos palcos o animador da noite comandava uma homenagem ao grande cantor Wando, falecido nesta semana. E é assim que as coisas acontecem na Campus.

Aqui um pequeno vídeo da festa rolando solta na campus!

Resumo do segundo dia de Campus

Mais um dia começando no Anhembi. Acordando cedo para aproveitar ao máximo esse dia cheio de apresentações tão especiais. A noite até que foi tranquila, não fossem os milhares de campuseiros conectados e fazendo a festa noite a dentro. Para despertar nada melhor do que uma boa ducha. E parece que nesse ano alguns problemas de anos passados foram resolvidos. As instalações são excelentes. E para terminar um com café da manhã na área de Catering da Campus.

Era impressionante. A galera toda conectada como se a noite simplesmente não tivesse passado. Estavam todos ali, conectados e consumindo tudo o que este espaço pode lhes proporcionar.

A primeira palestra escolhida do dia foi a mesa sobre Gamificação do Mundo Corporativo onde foram apresentados e discutidos projetos que levam para dentro das empresas a paixão das pessoas pelos jogos e pela competição. Rodrigo Najjar apresentou seu trabalho para motivar a inovação e como os processos de jogos podem gerar novas idéias e produtos para as empresas. Cacau Guarnieri falou como as plataformas de jogos como por exemplo foursquare fazem com que as pessoas passem a serem verdadeiros fãs das empresas. Finalmente Leandro Montoya falou sobre como o ser-humano possui no seu instinto a necessidade de jogar. Também comentou sobre o caso do sumiço da estátua do Borba Gato como um grande jogo no estilo viral e como funcionou para promover uma exposição.

Seguindo minha veia de desenvolvedor participei da apresentação da plataforma de desenvolvimento da Telefonica Vivo Blue Via, que visa levar ao desenvolvedores a carta de clientes da empresa em todo o mundo e compartilhar com eles os ganhos. Um ponto forte da plataforma é a capacidade de conectar as apps dos desenvolvedores com as apis da plataforma e permitir que explorem a capacidade das empresas de telecomunicações, como por exemplo o serviço de SMS, que chega a todos os usuários de celulares.

A primeira grande palestra da Campus foi a apresentação do espanhol Andreu Veà, que trouxe a história vida da internet para as pessoas ali presentes. Ele entrevistou grandes nomes da tecnologia responsáveis pela criação de praticamente todos os serviços que utilizamos até hoje, além de desmitificar muitos mitos existentes sobre a internet, como por exemplo que teria sido criada para ser uma rede que suportasse uma suposta guerra.

Durante a tarde uma das minhas grandes expectativas era pela oficina sobre iOS, o que me deixou um pouco desapontado. Foram apresentados algumas melhorias feitas pela Apple no SDK, além de novos benefícios implementados pela versão 5. Entretanto tratou-se de uma palestra extremamente rápida, tanto que utilizou apenas metade do tempo previsto, não apresentados casos práticos da utilização da tecnologia que atrai a atenção de tantas pessoas. A impressão é de que ao contrário das plataformas abertas, a plataforma da Apple também possui pessoas fechadas quanto à disseminação do conhecimento.

Enquanto rolavam as palestras, São Paulo e por consequencia a Campus Party foram surpreendidas por uma chuva de verão típica desta época do ano.Foi o suficiente para painéis e paredes do evento caírem com a força dos fortes ventos. Mas para alguma coisa serviu: acabar com o calor sufocante que rolava pelo evento. Isto bastou mais uma vez para mostrar a força das redes sociais, pois instantaneamente as pessoas começaram a tuitar mensagens pedindo a mudança das próximas Campus para o mês de Março, a fim também de evitar o calor tão forte da cidade.

Em seguida, seguindo a linha das plataformas abertas, uma apresentação que me surpreendeu foi sobre Como Escalar Aplicações Desenvolvidas em PHP, onde foram apresentadas técnicas para melhorar o desempenho e a escalabilidade das aplicações PHP e principalmente técnicas para melhorar a utilização de seu banco de dados MySQL e seu servidor Apache, mostrando o quanto estas tecnologias evoluíram e não deixam nada a desejar aos grandes produtos proprietários.

Fechando com chave de ouro minha noite na Campus, rolou a surpreendente palestra com o professor e pesquisador indiano Sugata Mitra, defensor da teoria de que o computador e a internet podem substituir o modelo de ensino atual com os professores. Ele mostrou seu fantástico projeto Hole in the Wall, onde um computador foi instalado em uma parede de uma favela da índia, e crianças que nunca tiveram contacto com a tecnologia foram capazes de aprender sozinhas a manipular o equipamento. O projeto foi explorado e desenvolvido em outras partes da índia e do mundo e pode comprovar como o poder de incentivar as crianças a aprender sobre algo que lhes traz interesse pode ser o caminho para uma nova revolução na educação. Pretendo criar um post dedicado a este tema! Aguardem!

A primeira noite na Campus

A primeira noite da Campus Party 2012 foi marcada por muita música! Mas claro não deixando o tema principal de lado. A festa de abertura do evento contou com a banda Gameboys que contagiou toda a galera presente com muita nostalgia!

Trata-se de uma banda paulista que se especializou em covers das trilhas sonoras dos principais jogos dos consoles que marcaram a vida de muitas pessoas. Vou preparar um post especial para mostrar um pouco mais do trabalho do meninos!!!

Antes disso a festa contou com a participação das principais pessoas envolvidas na organização deste evento, assim como o presidente da Telefonica Vivo Antonio Carlos Valente. Um pouco antes do início do evento as principais luzes do evento foram apagadas, criando um clima de cinema com as centenas de telas e monitores dos mais diversos computadores e gadgets ligadas. Ao centro da arena se destacava o Ovni da telefonica com sua iluminação.

Foi um evento relativamente rápido, também marcado pelos gritos já característicos desta Campus: OOOOOOOOoooooOOOOOOOoooOOOOO.
Alguém começa com um grito que vai se repetindo por toda o espaço!

Após curtir e recordar essas músicas que estão tão presentes na mente de todos, só restou recuperar as forças para aguentar a maratona de conhecimento que está apenas por começar! E que venham os Palestrantes!!!

E para deixar um pouco de água na boca, um vídeo com um trecho da música de Street Fighter.

 

 

Solução vencedora do Wayra promete gerenciar filas de restaurante

Publicado na Intranet da Telefonica | Vivo

FilaExpress Gerenciador de Fila de Restaurantes

Existe algo mais desanimador do que você se preparar para um jantar com amigos, mas ao chegar ao restaurante se deparar com uma fila enorme? Pensando nisso, o publicitário paulistano Jan Christian e o matemático Rafael Lohn criaram o FilaExpress, projeto vencedor do Wayra Brasil que promete  gerenciar filas de restaurante.

Veja como funciona:

Ao chegar ao estabelecimento, o cliente informa ao recepcionista seu nome, telefone e número de acompanhantes. O cliente fica então livre para ir onde quiser. Quando a mesa estiver pronta, o recepcionista envia por meio do FilaExpress um alerta ao cliente informando a disponibilidade. O cliente então procura o recepcionista, que o conduz a sua mesa.

O sistema de gerenciamento de listas funciona conectado ao servidor. No caso de pane do aparelho utilizado pelo estabelecimento, basta acessar o site do FilaExpress de qualquer outra maquina, que o sistema funciona normalmente, com todos os dados anteriormente inseridos preservados.

O Vivoblog conversou com Jan Christian para conhecer mais sobre o FilaExpressa. Confira!

Visite também o site oficial do projeto!

Telefônica e TVA divulgam Fibra Ótica na Época São Paulo

Texto publicado na Intranet Telefonica Vivo

Telefonica e TVA Disponibilizam Fibra Ótica

Telefônica e TVA apostaram em uma ação diferenciada para evidenciar os atributos da fibra ótica – tecnologia que proporciona uma nova experiência de entretenimento e informação aos consumidores, com maior estabilidade de sinal e ultravelocidade de banda larga, com até 100 Mega de download. Projeto criado pela agência Young & Rubicam contou com a tecnologia do Google e um plano de mídia diferenciado junto à revista Época São Paulo.

O resultado do trabalho foi divulgado na primeira publicação do mês de novembro. Cada assinante da revista que vive onde a fibra ótica das empresas está disponível encontrou na capa de sua Época São Paulo uma imagem da rua onde mora, disponibilizada pela ferramenta Google Earth Pro. O conceito da ação foi frisar, de maneira inovadora, que a TVA e  a Telefônica são as únicas empresas a levarem a tecnologia até dentro da casa das pessoas, impactando direta e positivamente potenciais clientes.

A ação começou a ser estruturada a partir de um processo de cruzamento dos dados das duas companhias com o veículo de comunicação. Por meio desse trabalho, foi possível identificar os 4.500 assinantes da publicação que residem em ruas onde a fibra ótica já está instalada. A partir daí, utilizamos a plataforma do Google Earth para a captação das cerca de 4.500 imagens e a produção das capas – que trazem a assinatura “Sua rua já tem fibra ótica da Telefônica. E agora sua casa também pode ter”.

Para detalhar a oferta, a Telefônica/TVA também veiculou um anúncio de segunda capa, o qual reforçava a mensagem: “Tem experiência. E tem experiência com fibra”.