Hackathons, uma experiência imperdível de conhecimento

Traduzido de ALT1040.

Vá a festas de gente que nãoo conhece” – Alvert-Lásló Barabási, autor do Linked

Um hackathon é um evento organizado por hackers, para hackers, como fim de programar ou construir uma solução de forma colaborativa, durante um prazo determinado de horas, de preferência no mesmo espaço físico. Evidentemente, hackathon é uma palavra composta de hack y marathon, uma corrida em busca do melhor hack possível, uma herança maravilhosa da cultura hacker.Os hackthons ajudam a construir e fortalecer comunidades, obedecem a um modelo de colaboração e competência com tão bons resultados que merece ser imitado em outros âmbitos: na aula, no trabalho, no governo. Além disso, assistir a um hackathon é uma experiência imperdível na vida. Vejamos porque.

Colaboração

O trabalho em equipe é fundamental para participar em um hackathon, um grupo pequeno onde a comunicação flui sem obstáculos, onde as habilidades se somam e o objetivo principal vai além de qualquer ego (no caso ideal). Participar em um hackathon implica colaborar  em uma equipe de respostas rápida, efetivo e criativo para resolver problemas. Visto a uma escala maior, um hackathon é sobre equipes formando uma equipe imensa, total, para materializar as melhores idéias.

Redes

Vistos com maior profundidade, os hackathons são eventos de redes. Onde os assistentes (e cada uma de suas idéias) são nós, e a comunicação entre eles são as conexões: a exaustiva distribuição de idéias. Em um hackathon as pessoas estendem suas redes de contatos, sim, mas mais ainda sua coleção de idéias novas. Em um evento assim as idéias competem e se disseminam exponencialmente: ao final, um equilíbrio particular filtra as melhores, porque todas as idéias são discutidas, detalhadas, misturadas e, eventualmente, evolucionadas. Os hackathons geram redes abertas e adaptáveis de conhecimento.

Conhecimento

Um hackathon é um evento que cataliza a geração e distribuição de conhecimento porque concentra mentes dispostas a colaborar em redes. Redes de pessoas autônomas, autodidatas, participativas. Assim mesmo, se trata de um evento onde as idéias são analisadas, inclusive melhoradas, por e para a comunidade. Os hackathons são as oportunidades de praticar intensamente a aprendizagem baseada em problemas. Se na aula primeiro aprendemos conceitos e logo resolvemos problemas, nos hackathons sucede justamente o contrário. E funciona muito bem.

Como começar

Por sua definição os hackathons são eventos feitos para programadores, como dito acima apresentam um modelo a seguir para todos aqueles que amam aprender solucionando problemas. Por exemplo, tive a oportunidade de utilizá-los em minhas aulas de programação desta forma:

  1. Apresentação de um problema, de preferência real
  2. Formação de equipes de trabalho de quatro a cinco alunos
  3. Definição de ferramentas de trabalho
  4. Debate em equipe e logo de forma grupal os elementos do problema
  5. Definição do formato de entrega de resultados, em tempo e forma
  6. Desenvolvimento de soluções criativas, perturbadoras, efetivas
  7. Apresentação por equipe da aproximação ao problema: a essência da sua solução
  8. Breve roda de perguntas e respostas
  9. Seleção das melhores soluções
  10. Reflexão autocrítica para melhorar.

Esta é uma pequena metodologia que não é em absoluto original, porém funciona para que os alunos colaborem, formem redes de idéias e se potencializa o conhecimento a partir da solução de um problema específico. Imaginemos este modelo sobre tudo em âmbitos fechados como os governamentais ou inclusive empresariais.

Você pode começar por você mesmo de forma autodidata, com seu grupo de amigos, em sia comunidade, preparar seu próprio hackathon ou participar nos que acontecem em seu país, visitar ou inaugurar um hacklab ou hackerspace, deixe-se contaminar de boas idéias, imagine como uma cadeia de DNA necessitada da rica informação genética de outros. O ponto é aprender, desenvolver ao máximo seus talentos, inclusive descobrir-los quando está em seu limite.

Um hackathon, idealmente, é sobre servir a uma causa comum. E funciona.

Solução vencedora do Wayra promete gerenciar filas de restaurante

Publicado na Intranet da Telefonica | Vivo

FilaExpress Gerenciador de Fila de Restaurantes

Existe algo mais desanimador do que você se preparar para um jantar com amigos, mas ao chegar ao restaurante se deparar com uma fila enorme? Pensando nisso, o publicitário paulistano Jan Christian e o matemático Rafael Lohn criaram o FilaExpress, projeto vencedor do Wayra Brasil que promete  gerenciar filas de restaurante.

Veja como funciona:

Ao chegar ao estabelecimento, o cliente informa ao recepcionista seu nome, telefone e número de acompanhantes. O cliente fica então livre para ir onde quiser. Quando a mesa estiver pronta, o recepcionista envia por meio do FilaExpress um alerta ao cliente informando a disponibilidade. O cliente então procura o recepcionista, que o conduz a sua mesa.

O sistema de gerenciamento de listas funciona conectado ao servidor. No caso de pane do aparelho utilizado pelo estabelecimento, basta acessar o site do FilaExpress de qualquer outra maquina, que o sistema funciona normalmente, com todos os dados anteriormente inseridos preservados.

O Vivoblog conversou com Jan Christian para conhecer mais sobre o FilaExpressa. Confira!

Visite também o site oficial do projeto!