Currículo inspirado em Super Mario

Você acha que tem um bom currículo, do tipo de dar inveja a qualquer pessoa no mercado de trabalho?

Espere até ver o currículo de Robbie Leonardi. Este designer situado em New York gastou alguns de seus finais de semana e noites de 2013 para criar um currículo interativo baseado no mundo colorido de Super Mario. Você pode caminhar com o personagem (no caso o próprio Robbie) e avançar através de suas habilidades e trabalhos para conhecer melhor esse profissional.

conheça-o-currículo-interativo-e-animado-de-robby-leonardiSe ele estava procurando por um novo trabalho, com certeza depois desse trabalho, oportunidades não faltarão!

Google Drive permite hospedar páginas web

Traduzido de ALT1040

Recentemente Google anunciou que permitirá a desenvolvedores web compartilhar e visualizar páginas inteiras armazenadas dentro de suas contas de Drive, o serviço de armazenamento gratuito da companhia, que até então funcionava apenas como um disco virtual. Agora qualquer pessoa pode subir arquivos de extensão HTML, JavaScript e até CSS, para que depois de seguir alguns simples passos seja possível tornar pública a página principal e navegar como uma página web funcional.

Google Drive permite alojar páginas web

Continue lendo “Google Drive permite hospedar páginas web”

Plugin de Cores para Eclipse

Para quem utiliza a IDE Eclipse para desenvolvimento de interfaces, sabe que é um pouco complicado fazer configurações de cores. Não existe nenhum componente para te auxiliar na escolha ou codificação das opções de cores.

Através de um Plugin para a IDE podemos resolver esta deficiência.

colors

Neste link você pode baixar esta ferramenta que irá te auxiliar na codificação de cores. Com ele é possível definir a cor através da codificação hexa, selecionar uma cor de qualquer área da tela (famoso conta gotas), copiar para a área de transferência ou para o seu código fonte o código hexa definido e vice-versa.

Após baixar o pacote basta descompactá-lo na pasta plugins da IDE Eclipse.

 

Espero que esta dica seja útil para todos.

Um abraço!

Utilizando o Google Charts – Parte 4: Exibindo os Valores dos Dados

Aproveitando uma dúvida que me enviaram estou escrevendo esta pequena dica. Conhecemos bem algumas interatividades dos gráficos, como por exemplo mostrar uma caixa do tipo ToolTip ao posicionar o mouse sobre as séries. Porém as vezes necessitamos que os valores dos dados estejam sempre em exibição junto com as linhas ou colunas, para que o usuário tenha uma rápida interpretação dos dados.

Em outras linguagens isso é uma tarefa muito simples (como o showDataTips do Adobe Flex), mas com o Goole Charts precisamos de um pouco mais de linhas de código, embora não seja impossível.

Image Chart with Value Marker

Continue lendo “Utilizando o Google Charts – Parte 4: Exibindo os Valores dos Dados”

Como gerar um projeto modelo (Template) para o Visual Studio

Após descobrir como criar um Windows Service que pode ser executado como Console Application e debugado, veio a próxima necessidade: criar um Template para não necessitar realizar a mesma modificação em todo novo projeto de um serviço. Então aqui segue um passo a passo de como criá-lo:

Continue lendo “Como gerar um projeto modelo (Template) para o Visual Studio”

Criar um Windows Service em .NET que possa ser executado como Console

Esta tem sido uma semana forte com os desenvolvimentos em .NET, principalmente utilizando Windows Services. Seu uso é muito útil quanto ao auto-gerenciamento proporcionado pelo sistema operacional windows, além da gestão de eventos. Só tem um ponto que me incomoda no desenvolvimento de Serviços: DEBUG! A forma indicada pela própria Microsoft para isso é utilizar a função de Attach, porém isso requer que o serviço seja instalado e esteja em execução na máquina. Venhamos e convenhamos, imagina fazer isso a cada linha de código que você altere e queira ver o resultado.

Outra solução seria fazer comentar na classe Program a o processo de execução do de Service, criar uma instancia da classe Service e chamar o seu método principal, que inicie seu processo. Mas também não é muito prático, pois no momento de distribuir e instalar seu serviço, é preciso “lembrar” de descomentar seu código.

Continue lendo “Criar um Windows Service em .NET que possa ser executado como Console”

Aprenda HTML5 e CSS3 com Thimble, o editor de Mozilla

Para quem acompanha o interessando mundo da famosa raposa vermelha (tudo bem, sabemos que na verdade se trata de um panda!), deve saber que o sistema operacional baseado em HTML da Mozilla está por chegar. Inclusive está disponível uma versão para testes (falaremos disso num próximo post). Em meio a várias  novidades, Mozilla lançou oficialmente Thimble, seu novo editor web. Ele funciona de forma muito parecida a algumas outras plataformas de aprendizagem que já mostramos aqui, porém com alguns detalhes interessantes.

 

Trata-se de um editor web com o objetivo de tornar muito fácil a tarefa de criar uma página web, inclusive para aqueles sem experiência como desenvolvedor. Toda a codificação é feita diretamente no browser, onde temos a tela dividida em duas partes. Do lado esquerdo você pode inserir e alterar o código web, e do lado direito as alterações são aplicadas em tempo real. O mais interessante é que caso digitemos algum código errado, Thimble nos avisa, indicando qual é nosso erro.

 

Outro diferencial é a capacidade de após criar seu código, poder publicá-lo com apenas um click. Simples assim!!!

Por fim existem vários exercícios de páginas exemplos em Thimble para que qualquer pessoa possa aprender os conceitos do desenvolvimento web com HTML5 e CSS3 (claro, alguns podem querer usar o Google Translator).

Vale a pena ter essa super ferramenta na sua barra de atalhos do browser e gastar algumas horinhas navegando pelas páginas de Thimble. Bom HTML!!!

5 plataformas online para aprender quase qualquer coisa

Traduzido de ALT1040
Texto de Alan Lazalde

A educação formal não é tudo. Claro, a universidade também não. Muito menos agora em tempos de internet e sobre-informação. Em nossos dias, se não é um auto-didata e não aprende de maneira colaborativa, você fracassou como estudante. E, por outro lado, se você não desce do Olimpo dos professores-que-tudo-sabem para se converter em guia e colaborador de seus estudantes, você fracassou como professor. Simples assim.

Na sala de aulas todos devem ser alunos e todos devem ser professores de igual pra igual. Todos compartilhando conhecimento. Novas metodologias de aprendizagem terão que surgir neste sentido. Suponho que os pedagogos terão muito por falar sobre isso. Enquanto isso, na internet as coisas avançam sem freio e só resta seguir alguns princípios básicos, como este que nos ensinou Google: não memorize o conhecimento, o encontre quando necessite.

Quer aprender algo? Bom, espero que alguma destas plataformas te inspire a fazê-lo já. Agregue um pouco de ordem e disciplina pessoal na educação e te fará as coisas mais fáceis.

Que estas páginas em inglês não devam ser um impedimento, existe Google Translate. E dezenas de páginas para aprender idiomas também. Há outras páginas? Melhores? Sem dúvida. O ponto é ter a iniciativa de buscá-los; encontrar-los será o de menos.

1. Coursera

Vídeos, provas, interação com outros estudantes, para aprender ciência, nutrição, matemática, inclusive medicina e até finanças. Coursera conta com mais de um milhão de estudantes de praticamente todo o planeta, e os integra em uma plataforma coerente e seria para a auto-aprendizagem colaborativa.

2. Khan Academy

Aqui temos um pioneiro no rumo das plataformas de aprendizagem online. Khan Academy se distingue pela variedade de seus temas e pela extensão de plataformas sobre as que funciona (recomendo o app para iPad). Além disso você pode se converter em voluntário para fazer legendas de cursos e contribuir para o conhecimento dos outros: assim se forma uma comunidade.

3. Udacity

Autonomeada a universidade do século XXI, Udacity é uma plataforma para aprender resolvendo desafios, com projetos guiados por alguns dos melhores instrutores do planeta (de verdade). “Colocamos o estudante no centro do universo”, e já são mais de 100 mil os estudantes envolvidos em seus cursos: basicamente de ciências da computação. Udacity é inspirador.

4. edX

MIT, Harvard e Berkeley unidos em uma mesma plataforma de cursos online herdeiras das glórias de MIT Open Course Ware. Até agora os cursos são poucos, mas sugiro seguir de perto esta plataforma que promete nos surpreender com sua estupenda interface de usuário. Os cursos funcionam por assinatura.

5. ck12

Com um excelente desenho, ck12 apresenta dezenas de cursos de quase qualquer área do conhecimento para alunos de educação básica. O faz através de recursos interativos, livros online, enfocados em conceitos e exercícios, que além disso funcionam em qualquer plataforma ou dispositivo móvel. Necessitamos mais páginas como esta.